23.10.10

Foste o nojo da minha vida

Eu amava-te, idolatrava-te, eras a pessoa que mais de mim tinha, e foste a minha maior desilusão. As pessoas que mais nos são queridas, são as que mais nos desiludem.
Foste o pior de mim, dá para imaginar? Foste o pior lado da minha vida e tudo de bom que aconteceu entre nós, passou e não volta a passar (foi um desperdício). Foram momentos bons que com o tempo vão sendo abafados pelos maus, por todas as mentiras, personagens inventadas, atitudes infantis.
Como fui eu capaz de me manter nessa tua teia de coisas irreais? A tua vida é inventada e é triste ver como fui a tua única amiga real, mas já me fizeste sentir tanta vez ultrapassada por todas as outras pessoas que nem existiam, a não ser nessa tua mente.
És doente sabes? Por mais que custe a mim mesma acreditar, és doente. Sinto repulsa, raiva (...) sei lá, tanta coisa e nada de bom.
Se eu quiser ser psicóloga de psicopatas, podias ser o meu primeiro caso. Tenho um histórico teu e vais acabar assim, como essas pessoas: uma pessoa louca. Se vivesses no estrangeiro não duvido que a ideia de matares, te passasse pela mente.
É triste como eu sabia que não era verdade, mas preferia acreditar em ti, visto que eras a minha vida e eras incapaz de me mentir, mas não só me mentiste com inventaste, só para eu ficar triste. Querias que eu te invejasse? Que pensasse que algum dia foste melhor que eu? Fazes-me rir. Essas tuas atitudes só me fizeram perceber que tu é que me invejavas. Talvez por ter uma família (que sempre criticas-te), por ser mais bem sucedida na escola, por ter amigos de verdade e acima de tudo REAIS (que sempre disseste que não gostavas), devias te ter contentado comigo, se tivesses sido mais cativante e construído isto tudo desde cedo, tinhas conseguido. Não te culpo de tudo, a tua vida nunca foi fácil, faltaram-te bases, faltou-te carinho e amor, mas conheço pessoas a quem faltou isso e que é bem melhor que tu e de longe.
Nas amizades a confiança, a partilha, o amor, a verdade (...) deviam prevalecer e mesmo que eu não aceitasse, mesmo que eu não fosse compreender, podias me ter contado, eu ajudava-te, mas enfim.
Agora andas aí, as pessoas reais que conheces, são só conhecidos.
Não tens futuro e mete-me nojo pensar que já foste como eu: uma pessoas com sonhos, amigos, com um futuro pela frente. Mas desperdiças-te tudo, sempre preferiste o jeito fácil das coisas, sempre foste de te moldar às pessoas (eras capaz de me criticar, só para agradares a alguém).
Tenho pena de próxima pessoa que se cruzar no teu caminho, muita pena, mas dou graças a mim por me ter visto livre dele.

11 comentários:

  1. A mim o que me parece é que quem nao tem bases nenhumas nem amigos reais és tu !
    Porque se algum dia tivesses sido realmente amiga dela tinhas percebido que tinhas uma rapariga excelente ao teu lado so tu e que nao quiseste aproveitar , Andas ai a falar mal dela e a por veneno pode ser que o veneno passe pra ti e um dia com estas merdas todas te fodas tu !

    ResponderEliminar
  2. A mim o que me parece é que quem nao tem bases nenhumas nem amigos reais és tu !
    Porque se algum dia tivesses sido realmente amiga dela tinhas percebido que tinhas uma rapariga excelente ao teu lado so tu e que nao quiseste aproveitar , Andas ai a falar mal dela e a por veneno pode ser que o veneno passe pra ti e um dia com estas merdas todas te fodas tu !

    ResponderEliminar
  3. LOLOLOLOLOL? é que nem sabem de quem falo xD

    ResponderEliminar
  4. Oh Lucia vai levar no cú vai !

    ResponderEliminar
  5. LOOOOOL, o anónimo com o pito aos saltos

    ResponderEliminar
  6. gostei *-*

    desculpa aqui a invasão* $:

    ResponderEliminar
  7. é o pito aos saltos oh vaca quando levares no fucinho vais ser tu que vais andar cm o pito aos saltos!

    ResponderEliminar

Sinceridade é o único requisito