19.12.10

devaneio

Esta frieza que tu me "invejas" não conseguiu apagar tudo o que foste.
Achei que se te insultasse, e te dissesse coisas macabras, que já não me lembraria de nada, seria mais fácil para mim, esquecer tudo o que fomos. Sim, esquecer por uns tempos, não quero apagar. Foste demais para mim, foste tudo. Não foram 2 ou 3, foram 13anos. Os insultos não chegaram, continuas tão presente em mim.
E mais uma vez, tudo acabou por uma estupidez e tenho a certeza que agora foi de vez.
Sei que errei, errei mais que uma vez até, como tu erraste. Parece que o copo estava demasiado cheio de erros, mais tarde ou mais cedo iria entornar. 
Não te vou pedir desculpa, também sempre fui muito cobarde e sempre me custou muito pedir perdão e sei que não me pedirás, por muito corajosa que sejas, não pedirás.
Sabes uma coisa? É melhor assim. Estávamos desgastadas, estávamos a ficar velhas, precisávamos de uma pausa de nós. Precisavas de uma pausa de mim, e eu de uma pausa de ti. Precisávamos de fazer outros amigos, estávamos demasiado presas uma à outra, que nem tínhamos tempo para isso.
Agora que este nosso cadeado perdeu a força, posso te dizer que as nossas moedas do Via Catarina separaram-se de novo e desta vez, foram para muito longe uma da outra.
No outro dia quando viemos todos juntos para cima, senti-me tão estúpida. Agimos como completas desconhecidas e foi doloroso.
Podia dizer que me está a custar muito, mas já me custou mais. Para quê mentir? Tu foste a minha vida, não um capítulo dela e achei que se esquecesse tudo, seria mais fácil seguir em frente, mas sabes o que descobri? Que é esse tudo, que são todas as conversas, risadas, noites acordadas, Passagens de anos juntas, praia, chuva, sol, enfim, tudo, que me faz continuar em frente. Todos os dias da minha vida.
Sei desta vez não terá um V de Volta, mas estava escrito. E por mais que a gente queira, não conseguimos mudar o destino.
Não queiras ser fria como eu, é sempre bom ter um coração bem aquecido.

2 comentários:

Sinceridade é o único requisito