1.12.10

pobre coração

Deixei tanto tempo o meu coração dentro daquele caixão, que quando o fui recuperar, o coveiro disse que ele já tinha ido parar às gavetas, porque necessitavam de mais espaço para os outros corações. Ele disse-me que morrem corações todos os dias, que há pessoas que demoram anos a ir buscá-los e que quando lá vão, eles já não têm salvação. 
Acho que fui a tempo de por o meu a salvo e espero que ele nunca mais vá parar aquele cemitério, porque não se vive duas vezes. Como não se vive duas vezes, também não se devia cair duas ou mais vezes no mesmo erro, nem no mesmo sofrimento. 
Há dores que quase matam e que para algumas pessoas chega mesmo a por um fim nas suas histórias de vida, como aquelas que chegam tarde à recuperação daquele a que chamavam coração. A essas, pobres coitadas, nem um milagre as safa.
Quem sou eu, para falar disto de sofrer? mais uma, das tantas outras pessoas que sofreram, ou vão sofrendo um pouco todos os dias.
Eu não culpo ninguém, ninguém. O ser humano não é perfeito. Talvez seja defeito de fabrico.

8 comentários:

Sinceridade é o único requisito