15.1.11

II

Desato a chorar desalmadamente; Deixo a Ana pendurada na chamada; Visto a minha melhor roupa; Ponho o cabelo bem do jeito que o Miguel gostava; Maquilho-me, ponho o meu perfume e desço as escadas apressadamente. Olho pelo espelho, sinto-me linda.
Vou a correr para a praça de táxis. Tenho de me despachar, senão quando chegar corro o risco de já não estarem lá e eu quero que o Miguel me veja, quero mesmo. Ainda para mais estou igualzinha à noite em que nos conhecemos.
O taxista pergunta-me para onde vou. Lá lhe dou as indicações.
Estou a tremer muito, mas nem tenho frio sequer. Está um calor abrasador, e eu estou com uns nervos. Parece mesmo a primeira vez em que fui ter com o Miguel.
Está um trânsito infernal, o táxi não anda e já falta pouco para o café.
"bem, pode parar aqui. vou o resto a pé. quanto é?" (disse ao taxista). "são 6€20" (respondeu-me num tom arrogante). Pego numa nota de 10€, saio a correr e digo "Fique com o troco".
Daqui ao café onde a Ana trabalha são cerca de 6 minutos, vou ver se ando o mais rápido possível.
As minhas pernas tremiam. Parecia que me iam falhar a qualquer momento. Já via a porta da entrada do café e o meu coração batia cada vez mais depressa.
Toquei no puxador da porta para a abrir e nesse instante sai o Miguel cheio de sorrisinhos com a Inês... Olhou-me fixamente, os meus olhos encheram-se de lágrimas. O Miguel ficou sério e...
Miguel: "Por aqui?!" e nesse momento o meu coração congelou. Que otário, só tinha isto para me dizer? mais valia ter-me ignorado. (pensava para mim)
Eu: "Isso pergunto eu. a minha melhor amiga trabalha cá! e tu, não devias estar fora?"
Miguel: "Voltei mais cedo e...."
Eu: "E? e não digas mais nada. parece que voltaste acompanhado.Olá Inês." (estava a armar-me em cínica? eu não sou assim! A Inês manteve-se em silêncio. Acho que ela começava a perceber o que se estava a passar.)
Miguel: "Sim. Conheci a Inês numa daquelas conferências chatas, sabes? E ela fez-me companhia durante a viagem".
Eu: Companhia? Estou a ver a companhia..." (Só me apetecia ser desagradável, e insultá-lo do pior. Mas apareceu a Ana que se deu conta de tudo e interrompeu-nos.)
Ana: Finalmente chegaste, trouxeste o que te pedi?"
Eu: "O que me pediste? Ahhhhhhh, sim! Está dentro da mala, queres que te dê agora?" (A Ana arranjou uma manobra de diversão para o Miguel não pensar que vim para o ver).
Ana: "Não, vamos para dentro e dás-me lá"
Eu: "Está bem. vamos então! Bem Miguel, adeus."
Miguel: "Espera... quero dizer-te uma coisa."
Eu: "Então diz, não tenho muito tempo. Como já deves ter reparado e a tua amiga está com pressa."
Miguel: "Inês vai indo para o carro, quero falar com a Joana." (A Inês abanou a cabeça e fez que sim. Pobre coitada).
Eu: "Não temos mais nada para falar..."
Miguel "Temos sim. Ana, importas-te?"
Ana: "Importo-me, ela não quer falar contigo!"
Eu: "Ana, deixa. Vai indo para dentro. Deixa-me ouvir o que ele tem para dizer." (A Ana vai, mas fica de pé atrás.)
Miguel: "Hoje, hoje..."
Eu: "Hoje o quê? Não me faças perder tempo Miguel. Senão tens nada de jeito para me dizer. Deixa-me seguir em frente. Parece que tu próprio já o fizeste. Adeus" (O Miguel agarra-me pelo braço)
Miguel: " Espera, segui em frente? Ah, a Inês? Já te contei o que aconteceu..."
Eu: "podes parar por aí. Não sou burra, tenho olhos na cara. Olhas para ela, da mesma maneira que olhavas para mim. Aquela maneira apaixonada. Mais valia termos acabado logo tudo. Não ando aqui, a fazer o papel de otária"
Miguel: "Desculpa? Eu amo-te. Estás-me a julgar muito mal!
Eu: "Não me faças rir. Podias ter ido a outro café, mas vieste ao da minha melhor amiga. E não, não gostas . Não podes amar duas pessoas. vou-me embora." (os meus olhos encheram-se de àgua mais uma vez, o coração parecia que me ia saltar fora do peito e eu já via tudo enevoado.)
Miguel: Espera, só mais uma coisa! Hoje, estás tão linda, estás exactamente como estavas da primeira vez que nos vimos!"
Eu entrei apressadamente no café, olhei para trás e disse: "Era essa a ideia."


(continua...)

23 comentários:

  1. está lindo +.+
    parece que este teu texto e a primeira ou a segunda parte da minha historia tem a mesma base.
    todos os desgostos de toda a gente têm quase todos a mesma origem
    continua *.*

    ResponderEliminar
  2. o rapaz do texto, é aquele que me tem tirado da solidão, o que tem estado la nos últimos 3meses, o que faz tudo por mim, o que me faz sorrir quando estou a chorar, enfim, é um amigo*
    GRANDE AMIGO!
    adoreeeeeeei *-*

    ResponderEliminar
  3. acredita que passa amor (:
    quem é o menino que está lá em cima ? :$

    ResponderEliminar
  4. Se calhar são as que nos fazem deitar mais cá para fora, que nos dão mais palavras para nos expressarmos, etc.

    ResponderEliminar
  5. mesmo :'o
    é quando temos que deitar tudo ca para fora e de certa forma revoltarmo-nos

    ResponderEliminar
  6. nunca se sabe a quantidade de amor, que o outro possui

    ResponderEliminar
  7. ainda bem $:
    mas é esse o objectivo certo? compreendermo-nos uns aos outros e acima de tudo ajudarmo-nos (:

    ResponderEliminar
  8. eu percebi que era a continuação :o

    ResponderEliminar

Sinceridade é o único requisito