10.4.11

Eu vivo do nosso amor

Hoje acordei com vontade de escrever um bilhetinho para ti. Encher-te os espelhos do quarto com post its. Do género: Amo-te; estou presa a ti; és o meu homem; fazes-me a pessoa mais feliz do mundo; contigo do meu lado é uma explosão de sentimentos; preciso de ti ou um simples fica comigo. 
Do teu lado percebi que quando se quer estar próximo de alguém de quem se gosta, as palavras nunca se gastam. Como nunca se gastam os beijos, as mãos que se aconchegam, os braços que se acolhem, os corpos que se tocam, as bocas que se comem alimentando-se uma à outra. Nunca se gasta a pele nem o olhar, porque o desejo é alimentado pelo amor, e o amor não é como a paixão. O amor, nunca se cansa. O amor são mil e um pequenos nadas, que são tudo ou quase tudo. O nosso amor é puro, incondicional, intemporal, inabalável e inigualável, que resiste a tudo: ao frio, à solidão, ao vento e à chuva, ao tempo e ao modo, à ausência e à distância.  E eu vivo do nosso amor, é ele que paga as contas, que alimenta, que veste, que acaricia, que sussurra, que beija... este meu coração. Eu vivo do nosso amor, como uma pessoa vive de àgua, de comida, de dinheiro. Eu vivo do nosso amor, que é feito de vontade, de tempo, de perfeição. De espera, de respeito, de paciência. De doçura, de proximidade, de generosidade. De sonho e de paixão. De nuvens que sabem a algodão doce. De dedicação, empenho, alegria e de cooperação. É feito de uma vida a dois. Conjuga o verbo: Estar, viver, partilhar. 
Estás presente em todo o lado. Na música que eu oiço, nas palavras que digo, nos pensamentos que me atravessam a mente, nos olhos que se cruzam com os meus... Eu olho para ti e vejo-me a mim. 
Todos os dias ando contigo, guardado no bolso que fica sobre o coração. Porque o meu amor por ti é tão grande que tenho que te espalhar por vários sítios do meu corpo. O coração está cada vez mais cheio, parece que vai rebentar a qualquer minuto. Por isso para além de te guardar no coração, guardo-te no bolso que fica sobre dele. Guardo-te na cabeça, guardo-te nas minha mãos... sinto-me a fervilhar, devido às gotas do teu sangue que me correm pelas veias. Tu todos os dias, viajas por mim, sem ser preciso um balão e em menos de 80 dias.
Nós escrevemos a história do nosso amor, a cada segundinho que passa. Tu inscreveste-te em mim, inscreveste-te no clube de escrita da história do amor da minha vida. Eu escrevo não apenas sobre ti, mas para ti. Porque sei que aqui, as minhas palavras se consagrarão eternas, como o nosso amor, que merece ser contado e que vai ser contado por nós, aos nossos netos sorridentes, sentados sobre os nosso joelhos.  

23 comentários:

  1. ai gostei muito muito :)
    ainda bem que estás tão feliz <3

    ResponderEliminar
  2. obrigado meu bem (:
    gostei do texto. é tão bom ver duas pessoas assim, felizes, e a amarem-se tanto *-*
    as maiores felicidades ♥

    ResponderEliminar
  3. este texto foi escrito c tanto amor lú *_*

    ResponderEliminar

Sinceridade é o único requisito