13.11.11

memórias tão reais

eu lembro-me de cada pedacinho de tempo que passo do teu lado, são memórias tão reais. parece que as vivo cada  vez que fecho os olhos, é uma sensação auditiva, visual, gustativa, olfactiva e táctil tão boa. é como se ouvisse a primeira frase que disparaste nos meus ouvidos, como se ainda sentisse as tuas mãos sobre o meu rosto no nosso primeiro beijo, que lábios tão suaves. os teus olhos sobre os meus. os nossos corpos se tocando, dançando o amor, na nossa primeira vez. os meus pés sobre o orelhas a cantar felicidade. as nossas mãos encaixadas, tão perfeitas, a passear no cais de gaia. nós sentados numa pedra a assistir o ria a andar. a partilha das camas. refeições feitas com tanto carinho. fins-de-semana só para nós. férias com os teus amigos. assistir a jogos de futebol teus, com orgulho. o almoço com a tua mãe. a tarde passada com a minha avó, com a minha mãe a fazer-nos rir. horas passadas a jogar o sr eli, a ver o nosso querido holmes. fotos tiradas para tentar retratar o nosso amor (é impossível retrata-lo de tão bonito que é). as noites agarrada a ti. os choros de felicidade. as tuas palavras pedindo-me em casamento. deitados no teu sofá a fazer naninha. os passeios com a lara na praia. aveiro, que dia fantástico. noites escondidas na casa um do outro. olhares cúmplices. o primeiro amo-te, ainda o oiço soar. vivemos tanto que é impossível dizer tudo aqui, só nós é que sabemos. momentos fantásticos, sorrisos enormes, gargalhadas altas, choros mergulhados em alegrias, abraços que valem tudo, beijinhos maravilhosos. amor. fazer amor contigo é uma arte. tenho um desejo por ti tão, mas tão grande. uma loucura enorme. e um amor, maior que a vida.

7 comentários:

Sinceridade é o único requisito