21.6.12

sixteen

E não apenas por festejarmos dezasseis meses que hoje te escrevo, mas sim porque festejamos todos os dias.
Tu ensinaste-me a ver a vida com outros olhos, a aprecia-la, a enfrenta-la, a ama-la, a vive-la. Do teu lado percebi que um dia jamais será apenas um dia, e que as horas passam tão devagar quando não te vejo. Do teu lado entendi que a noite e o dia são coisas distintas, e que é possível o sol brilhar sempre, mas que também ele precisa de dormir. Percebi que um limão consegue ser doce, e uma laranja azeda, e como um sorriso é tão encantador. Sabes aquele querer que nem cabe no coração (de tão grande ser)? é como eu te quero. Adoro fazer da nossa vida um mapa de hipóteses infinitas e adoro ouvir a música que me puxa para ti. Adoro fazer da minha vida tua, e dos dias nossos. Adoro ver-te sempre que fecho os olhos, e tocar-te sempre que o faço. Adoro tudo em ti, os teus joelhos, cabelos, pés, orelhas, dentes, cotovelos, unhas... Tudo. E sabes o que te digo? Nunca me pareceu tão legítimo alguém se amar.


6 comentários:

Sinceridade é o único requisito