7.1.13

Não nos cabe nas mãos

Não existem combinações numéricas,  nem conjuntos de frases que se dêem tão bem como nós. E hoje o dia está cansativo, o ar pesado de cores escuras, o céu coberto de nuvens e abraçado por ventos frios, um pouco choroso. Mas nem um tempo típico de Inverno me faz sentir preguiça do amor que sinto por ti. Pela luz que os meus olhos irradiam, e pelos gestos doces que o meu corpo tem a noção que faz. E repito que não existem combinações numéricas, nem conjuntos de frases que se dêem tão bem como nós. Meros seres derrotados um pelo outro. O amor não nos cabe nas mãos, é enorme, sobe ao peito e lá se recolhe, acolhido por respirações ofegantes de paixão. São disparadas assim nos meus ouvidos, balas de carinho que se alojam lá, cheias de ternura. És o melhor de mim, digo-te no meu perfeito juízo, o melhor de mim. 

Ps: nós no primeiro dia do ano.

8 comentários:

  1. Oh obrigada espero que aproveites para ver muitos filmes, serão colocados novos lá no blog!

    ResponderEliminar
  2. Sim tens que ver :p Obrigada!
    Adorei este texto, que lindoo +.+
    Muitas Felicidades!

    ResponderEliminar
  3. Desculpa querida, perdi-me na conversa. Tive de me ausentar e não me lembro bem :s

    ResponderEliminar
  4. a fotografia está linda, tal como o texto. beijinho,

    http://alexachungscloset.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Tu e o teu namorado fazem um casal mesmo bonito :)

    ResponderEliminar

Sinceridade é o único requisito